domingo, 3 de maio de 2015

Verdadeira sabedoria

"Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento." (Provérbios 3:13).

A verdadeira sabedoria é um tesouro tão perdurável como a própria eternidade. Muitos dos homens que o mundo chama sábios, são sábios apenas a seus próprios olhos. Satisfeitos com a aquisição da sabedoria mundana, não entram nunca no jardim de Deus, para se relacionarem com os tesouros da ciência contida em Sua Santa Palavra. Julgando-se sábios, são ignorantes no que diz respeito à sabedoria que precisam possuir todos quantos houverem de obter a vida eterna. Nutrem desprezo pelo livro de Deus, o qual, se estudado e obedecido, os tornaria verdadeiramente sábios.

A Bíblia é para eles um mistério impenetrável. As verdades maravilhosas e profundas do Antigo e do Novo Testamento são obscuras para eles, porque as coisas espirituais não sãos discernidas espiritualmente. Precisam aprender que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e que sem essa sabedoria seu aprendizado é de pouco valor.


Aqueles que estão se esforçando para obter educação na área das ciências, mas que não aprenderam a lição de que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, estão trabalhando sem amparo e de maneira incompetente, questionando a realidade de tudo. Eles podem adquirir educação nas ciências, mas a menos que ganhem conhecimento da Bíblia e de Deus não possuem a verdadeira sabedoria. Pessoas iletradas, que conhecem a Deus e a Jesus Cristo, possuem sabedoria mais duradoura que os mais cultos que desprezam a instrução de Deus.

A verdadeira sabedoria está infinitamente acima da compreensão dos sábios segundo o mundo. A sabedoria oculta, que é Cristo formado em nós, a esperança da glória, é sabedoria tão elevada como o Céu. Os profundos princípios da piedade são sublimes e eternos. A experiência cristã, unicamente, nos pode ajudar a compreendermos esse problema, e obter os tesouros de conhecimento que têm sido ocultos nos conselhos de Deus, mas estão agora sendo revelados a todos os que têm ligação vital com Cristo.

(Ellen G. White. Jesus, Meu Modelo, p. 98)