segunda-feira, 14 de abril de 2014

Um plano para todo o tempo

"Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também." (Atos 15:11)

A verdade de Deus é a mesma em todos os tempos, se bem que diversamente exposta a fim de ir ao encontro das necessidades do povo nos vários períodos. Sob a dispensação do Antigo Testamento, toda obra importante era intimamente ligada com o santuário. No santo dos santos o grande EU SOU fazia habitação. Ali, por sobre o propiciatório, protegido pelas asas dos querubins, habitava o shekinah de Sua glória, o perpétuo sinal de Sua presença; ao passo que o peitoral do sumo sacerdote, cravejado de pedras preciosas, dava a conhecer, dos sagrados recintos do santuário, a solene mensagem de Jeová ao povo. Maravilhosa dispensação, em que o Santo, o Criador dos céus e da Terra, assim manifestava Sua glória, e revelava Sua vontade aos filhos dos homens!

Os típicos sacrifícios e ofertas daquela dispensação representavam Cristo, que Se devia tornar a oferta perfeita pelo homem pecador. Além desses símbolos místicos e vagos tipos que apontavam ao Salvador por vir, havia um Salvador presente para os israelitas. Ele, que oculto em uma coluna de nuvens de dia e numa coluna de fogo à noite, conduziu-os em suas viagens; Ele, que dera mandamentos diretos a Moisés para que os repetisse ao povo. Ele, que foi igual ao Pai na criação do homem, foi comandante, legislador e guia de Seu antigo povo.

Muitos consideram os dias de Israel um tempo de obscuridade, quando os homens estavam sem Cristo, sem arrependimento e fé. Muitos mantêm a errônea doutrina de que a religião dos filhos de Israel consistia em formas e cerimônias, nas quais não tinha parte a fé em Cristo. Mas os homens daquela época eram salvos por Cristo, tão verdadeiramente como os de hoje o são. Cristo era apresentado em sombras nos sacrifícios e símbolos, os quais deviam durar até que o tipo encontrasse o antítipo em Sua vinda ao mundo. Os hebreus se regozijavam num Salvador vindouro. Nós nos regozijamos em um Salvador já vindo, e que virá outra vez. O sangue de Cristo tem eficácia para nós, como tinha para o antigo Israel. 

— Ellen G. White. Para Conhecê-Lo, p. 97