terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Provérbios 3 e o verdadeiro sentido da lei na Bíblia

"Filho Meu, não te esqueças dos Meus ensinos, e o teu coração guarde os Meus mandamentos; porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentarão anos de vida e paz." (Provérbios 3:1-2, ARA)

A palavra "ensinos" (ou "instrução") no hebraico é "torah", mais comumente traduzida por "lei" em todo Antigo Testamento. 
Se o sentido do Antigo Testamento, de lei como instrução, for aplicado a toda Bíblia, tira-se da lei o sentido de obrigatoriedade cega e os mandamentos de Deus se transformam em placas na estrada da vida, que advertem contra desvios perigosos para os caminhos do pecado. — Comentário Bíblico Adventista, v. 3, p. 1073.

Tanto que na ARC (Almeida Revista e Corrigida) o texto de Provérbios 3:1 aparece da seguinte forma: "Filho Meu, não te esqueças da Minha lei, e o teu coração guarde os Meus mandamentos." Aqui temos um recurso muito comum na poesia bíblica: o paralelismo. Salomão está falando de um assunto só, mas de duas formas diferentes no mesmo verso com objetivo de fixar na mente o entendimento.

Falando em fixar na mente, há outra coisa interessante que podemos aprender deste texto. Somos admoestados a guardar no coração os mandamentos de Deus. Para o mundo ocidental, coração é sinônimo de "centro das emoções" (casais apaixonados escrevem seus nomes dentro de um coração), mas 
para os hebreus, as entranhas eram o centro das emoções, e o coração, o centro do intelecto. — Comentário Bíblico Adventista, v. 3, p. 1070.
Fica mais claro quando, entendendo o verdadeiro sentido de coração como mente/intelecto, observamos o verso dizendo-nos para não esquecer da lei (instrução do SENHOR) e em nossa mente manter sempre ativo pensamentos em conformidade às instruções de Jesus. Assim e só assim, pela Palavra de Deus e pelos maravilhosos mandamentos de Deus podemos não tomar a forma deste mundo e experimentar uma renovação do nosso entendimento para viver a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:2).