quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Ninguém é bom senão um, que é Deus.

"Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus." (Marcos 10:18)

Esta foi a resposta do Senhor ao homem conhecido como "jovem rico", quando este lhe disse: "Bom Mestre" (v. 17). Na resposta do nosso Salvador estava implícito um ensinamento válido tanto para este homem que correu ao Seu encontro quanto para os que correm da presença de Jesus nos dias de hoje: você não é bom!

A palavra traduzida para o português por "bom" vem do grego "agathos", um adjetivo utilizado para se referir a pessoas, e tem o sentido de excelente, distinto, melhor. Em seu cumprimento superficial, embora verdadeiro com relação ao caráter de Jesus, talvez o jovem rico tenha utilizado agathos com a intenção de receber um agathos de volta, mas Jesus lhe disse que só Deus é agathos

Por que Ele disse isto? A Bíblia nos ajuda a entender a real natureza do ser humano e o motivo de Jesus ter sido justo ao não considerar nem o jovem rico, nem você e nem eu de agathos:

"Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem um sequer." (Salmos 14:3)
Paulo confirma:
"Como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos." (Romanos 3:10-18)
Esta não é a descrição de um assassino, nem a descrição de um estuprador. Esta é a descrição da natureza humana corrompida pelo pecado. Você e eu somos assim, é o que a Bíblia diz. Pare e pense um pouco e você perceberá que mesmo os seus melhores atos ainda sim possuíam algum traço egoísta. Você não é bom! E não adianta se comparar com os outros e dizer: "Ah, mas eu não sou tão ruim quanto ele". Este argumento não serve para Deus. Pois o padrão de Deus para a humanidade é a Sua lei.
"Falai de tal maneira e de tal maneira procedei como aqueles que hão de ser julgados pela lei da liberdade." (Tiago 2:12)
E na continuação do discurso de Paulo para te ajudar a entender sua natureza, ela ainda diz:
"Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado." (Romanos 3:19-20)
O que Paulo está dizendo? Está dizendo que a lei não justifica ninguém diante de Deus, a lei condena. A lei de Deus aponta seu erro, ela mostra onde você não está atingindo o padrão de Deus esperado em sua vida. É a lei de Deus que diz que você não merece ser chamado de agathos. Você não é bom, não o suficiente para viver o padrão estabelecido por Deus. 

A situação parece desesperadora? Sim, meu amigo e minha amiga, a situação é desesperadora! Se eu disser o contrário estarei mentindo, pois Paulo mesmo quando entendeu o seu desespero, exclamou:
"Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?" (Romanos 7:24)
Paulo não disse: "Agathos homem que sou". Ele disse: sou miserável, estou perdido, minha natureza me condena. A lei não é o meu problema. A lei é "santa; e o mandamento, santo, justo e bom" (Romanos 7:12), o problema está em mim, o problema sou eu. A lei não é culpada por que eu quis pecar, eu sou. A lei apenas mostra quem eu sou, ela não me fez ser o que sou. Quem nos livrará da condenação? Quem nos livrará da culpa? Quem nos livrará da separação de Deus?
"Dou graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. Assim que eu mesmo, com o entendimento, sirvo à lei de Deus, mas, com a carne, à lei do pecado." (Romanos 7:25)
Você sente o alívio nas palavras de Paulo no verso acima? Você percebe a esperança correr pelas artérias da vida espiritual? A resposta a pergunta final do verso 24 vem no início do verso 25. Sim, meus amigos, Jesus, Seu sangue derramado na cruz, convertido em graça salvífica e redentora, Ele é capaz, Ele é suficiente, Ele tem o poder de te livrar de seus pecados, da condenação que está sobre você, de remover sua culpa. Deus "nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação" (2 Coríntios 5:18). Reconheça neste exato momento: "Senhor, eu não mereço ser chamado de agathos, sou pecador e mereço somente a condenação, mas porque Jesus morreu na cruz em meu lugar eu agora tenho esperança. O inocente assumiu a culpa do transgressor e agora eu surge em mim a fé que foi Jesus quem assumiu o meu lugar na cruz".
"Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados." (1 João 4:10)
Este vídeo sintetiza nossa conversa: