domingo, 16 de junho de 2013

Cego guiando cego

Tenho visto como guias cegos estiveram trabalhando para tornar as almas tão cegas quanto eles mesmos, pouco percebendo o que está para sobrevir-lhes. Estão se exaltando a si mesmos contra a verdade, e quando esta triunfa, muitos que têm estado a olhar para esses mestres como homens de Deus, e deles têm buscado luz, ficam confundidos. Indagam desses líderes com relação ao sábado, e estes, com o propósito de se livrarem do quarto mandamento, lhes respondem nesse sentido. Vi que a verdadeira honestidade não era levada em conta ao se adotarem as inúmeras posições que foram adotadas contra o sábado. O principal objetivo é contornar o sábado do Senhor e observar outro dia que não o abençoado e santificado por Yahweh. Se são expelidos de uma posição, adotam posição oposta, mesmo que seja uma posição que havia pouco condenavam como inadequada.

O povo de Deus está chegando à unidade da fé. Os que observam o sábado da Bíblia estão unidos em seus pontos de vista da verdade bíblica. Mas os que se opõem ao sábado entre o povo do advento estão desunidos e estranhamente divididos. Um se levanta em oposição ao sábado, e declara ser assim e assado, e ao concluir afirma que a questão está solucionada. Mas como em seus esforços não pôs fim à questão, e como a causa do sábado progride e os filhos de Deus ainda o abraçam, outro se levanta para derrocá-lo. Mas ao apresentar os seus pontos de vista para evitar o sábado, põem completamente abaixo os argumentos do anterior que se esforçara contra a verdade, e apresenta uma teoria tão oposta às suas como às nossas. Assim é com o terceiro e o quarto: mas nenhum deles terá a questão como se apresenta na Palavra de Deus: 
“O sétimo dia é o sábado do Senhor [lit. "de Yahweh"] teu Deus.” (Êxodo 20:10).

Essas pessoas, eu vi, têm a mente carnal, pois não estão sujeitas à lei de Deus. Não concordam entre si, no entanto trabalham com persistência com suas deduções para torcer as Escrituras e abrir uma brecha na lei de Deus, a fim de mudar, abolir ou fazer qualquer coisa com o quarto mandamento, exceto observá-lo. Eles desejam silenciar o rebanho sobre esta questão; assim procuram suscitar alguma coisa com a esperança de que se aquietem e de que muitos dos seus seguidores investiguem a Bíblia tão pouco que seus líderes possam facilmente fazer que o erro pareça verdade, e como tal o recebam, não procurando olhar mais alto que os seus líderes.

(Ellen G. White. Primeiros escritos, p. 68-69)