terça-feira, 14 de maio de 2013

O erro dos cristãos é pior que dos israelitas


"Yahweh, o Deus dos seus antepassados, advertiu-os várias vezes por meio de seus mensageiros, pois Ele tinha compaixão de Seu povo e do lugar de Sua habitação [Jerusalém]. Mas eles [os israelitas] zombaram dos mensageiros de Deus, desprezaram as palavras dEle e expuseram ao ridículo os Seus profetas, até que a ira de Yahweh se levantou contra o Seu povo, e já não houve remédio." (2 Crônicas 36:15-16)
No Novo Testamento somos exortados a estar prevenidos pelo exemplo dos hebreus, que negligenciaram seu dever e se apartaram do Deus vivo. 

“Essas coisas aconteceram a eles como exemplos e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos.” (1 Coríntios 10:11)
Os enganos e falhas do antigo Israel não foram menores à vista de Deus, do que são os pecados do Seu povo em nosso tempo. A luz tem aumentado de geração em geração e as gerações que seguem têm o exemplo das anteriores. O Senhor não muda, e o pecado que Ele condenou nas antigas gerações deve ser evitado por nós. Devemos atender às admoestações dadas no passado e agarrar as promessas feitas para encorajamento do obediente. Se queremos aprender lições na obediência, seguindo o caminho da fé e da virtude, temos que viver em ligação com Deus, e Ele será nossa força e nosso apoio, nossa vanguarda e retaguarda. 

Devemos hoje preencher as mesmas condições preenchidas por aqueles que receberam ricas bênçãos no passado. A razão pela qual não recebemos mais bênçãos do Senhor é que nós, o professo povo de Deus, O servimos com coração dividido, à semelhança do antigo Israel. Professamos ser adoradores de Deus, mas muitos são adoradores de ídolos, como foram os hebreus.

Em cada geração a luz tem aumentado e nós somos responsáveis pelo que fazemos com essa luz. Aqueles que pretendem servir a Deus, mas cultivam o egoísmo, buscam satisfazer ambiciosos projetos, são amantes dos prazeres, amantes de si mesmos e são muito mais pecadores que o antigo Israel, pois a luz que brilha em seu caminho é maior. Eles têm a experiência passada na história da desobediência de Israel e conhecem o resultado de negligenciar o dever. Têm ouvido as advertências de Deus sobre maneiras de evitar os enganos e erros de Seu antigo povo, a fim de que possam escapar dos resultados de seu próprio curso de ação, e são mais indesculpáveis nesse curso de pecado do que foi o antigo Israel. Muitos se admiram de que os israelitas tivessem mostrado tão grande ingratidão quando Deus manifestava grande amor e cuidado por eles. Pensam que não incorreriam na mesma culpa; mas deixem que a questão se volte para rendemos a Deus por Sua amorosa bondade e terna misericórdia? Quão fácil é para nós nos esquecermos de Deus e de Jesus Cristo a quem Ele enviou! Colocamo-nos sob a mesma condenação que recaiu sobre o antigo Israel, sempre que negligenciamos dar graças a Deus por Suas diárias misericórdias sobre nós.

(Ellen G. White. Review and Herald, 21 de maio de 1895).