terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Comendo da árvore da vida


"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus." (Apocalipse 2:7)

Esta mensagem diz respeito a todas as nossas igrejas. Nunca podeis empregar melhor a faculdade da audição do que prestando atenção para ouvir o que a voz de Deus vos diz em Sua Palavra. Há uma preciosa e abundante promessa para os que vencem. Não basta entrar nesta peleja; precisamos continuar nela até ao fim. Não devemos ter experiência em capitular. Temos de combater o bom combate da fé até ao fim. Ao vencedor é prometida a vitória triunfal. “Ao vencedor dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.” (Apocalipse 2:7). Tudo quanto foi perdido na queda de Adão é mais do que restaurado na redenção. “Aquele que está assentado no trono... [diz]: Eis que faço novas todas as coisas.” (Apocalipse 21:5).

Olhemos atenta e criteriosamente para nós mesmos. Não estão sendo violados os compromissos que assumimos em nosso batismo? Estamos mortos para o mundo e vivos para Cristo? Buscamos as coisas lá do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus? Foi cortado o cabo que nos prendia à Rocha Eterna? Estamos sendo levados pela correnteza que conduz à perdição? Não faremos esforço algum para abrir passagem e avançar rio acima? Não hesitemos mais, mas utilizemos vigorosamente os remos; e voltemos à prática das primeiras obras, antes que naufraguemos fatalmente.

Compete-nos conhecer nossas deficiências e pecados específicos, que causam trevas e debilidade espiritual, e apagaram nosso primeiro amor. É o mundanismo? É o egoísmo? É o amor à vaidade pessoal? É a luta pela primazia? É o pecado da sensualidade que está intensamente ativo? É o pecado dos nicolaítas transformando a graça de Deus em lascívia? É o uso incorreto e abuso de grande luz, oportunidades e privilégios, fazendo afirmações jactanciosas de sabedoria e conhecimento religioso, ao passo que a vida e o caráter são incoerentes e imorais? Seja o que for que tenha sido acariciado e cultivado até tornar-se forte e dominante, fazei decididos esforços para vencer, do contrário estareis perdidos.

(Ellen G. White. E Recebereis Poder, p. 361)