sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Quanto custa ser um discípulo de Jesus?

Vivemos em uma época onde já colhemos os graves frutos do ensino deturpado de uma santificação sem completa base bíblica e em desarmonia com os princípios sagrados da lei de Deus. Basta observar o comportamento da grande massa evangélica quando não está na igreja (isso fica evidente, por exemplo no Facebook de vários "cristãos"). 

Muitos confundem uma forte emoção com santificação, todavia, não pretendo entrar neste mérito aqui. Há um outro post que analise as diferenças entre a verdadeira e a falsa santificação (clique aqui). Quando vou ao culto de domingo a noite em minha igreja, ao passar por uma avenida próxima de casa, fico observando diversas igrejas e muitas pessoas. Todas elas em busca de uma transformação para suas vidas, mas será que todas elas compreendem que existe diferença de ser membro de igreja e discípulo de Cristo? Será que existe um custo para alguém ser discípulo de Jesus? Ao buscar respostas na Bíblia, encontro este texto:

"Grandes multidões o acompanhavam, e Ele, voltando-se, lhes disse: Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. 
E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo. Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir? Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e não a podendo acabar, todos os que a virem zombem dele, dizendo: Este homem começou a construir e não pôde acabar.
Ou qual é o rei que, indo para combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil? Caso contrário, estando o outro ainda longe, envia-lhe uma embaixada, pedindo condições de paz.
Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo." (Lucas 14:25:33)

A escritora cristã Ellen G. White faz o seguinte comentário sobre este texto:
"Entregando-nos a Deus, temos necessariamente de renunciar a tudo que dEle nos separe. [...] Tudo que afaste de Deus o coração, tem de ser renunciado. [...] Não podemos pertencer metade ao Senhor e metade ao mundo. Não somos filhos de Deus a menos que o sejamos totalmente. Há os que professam servir a Deus, ao mesmo tempo que confiam em seus próprios esforços para obedecer à Sua lei, formar um caráter reto e alcançar a salvação. Seu coração não é movido por uma intuição profunda do amor de Cristo, mas procuram cumprir os deveres da vida cristã como uma exigência de Deus a fim e alcançarem o Céu. Semelhante religião nada vale" (Caminho a Cristo, p. 44).
William Barclay também teceu comentários esclarecedores:
"Quando Jesus disse isto estava em caminho a Jerusalém. Sabia que ia em direção da cruz; mas as multidões que estavam com ele pensavam que ia a caminho de um império. Por esta razão falou assim. Na forma mais vívida possível disse que o homem que o seguisse não obteria poderes nem glória terrestres, mas sim devia estar disposto a ser fiel até o sacrifício das coisas mais apreciadas da vida, e a sofrer a agonia de um homem sobre a cruz. Não devemos tomar as palavras de Jesus literalmente, em forma fria e sem imaginação. A linguagem oriental é sempre tão vívida como pode ser a mente humana. Quando Jesus nos diz que devemos odiar a nossos seres mais queridos, não o diz em sentido literal. Quer dizer que nenhum amor da vida pode ser comparado com o que devemos a Ele." (Comentário Bíblico do Evangelho de Lucas, 1955, p. 171).

A DIFICULDADE DA RENÚNCIA

Renunciar a nós mesmos, como é difícil. Por vezes até renunciamos algo, mas apenas uma parte, não o todo. E ficamos presos, escravos, condenados, porque não conseguimos renunciar. De acordo com o dicionário, renunciar é não querer ou deixar voluntariamente de possuir ou usar algo. Aqui entendo que Deus não fará nada que tiver ao seu e meu alcance fazê-lo e renunciar é algo assim. 

Você está disposto a deixar aquele seu hábito, aquele seu desejo, aquele seu filme, aquela sua novela, por Cristo? E isso sem que seu pastor obrigue, sem que seu padre ordene. Tem que ser voluntariamente por que Deus respeita o seu livre-arbítrio e sabe que uma indecisão com relação a Cristo já é uma decisão. Deus quer fazer algo por você, Deus quer fazer tudo por você, mas você precisa deixar de lado TUDO, é o que o verso 33 diz.

Quero aqui utilizar o exemplo conhecido do sapo como ilustração espiritual da importância da renúncia. O sapo, como sabemos, faz parte do grupo dos anfíbios e este grupo possui uma característica interessante: são ectotérmicos. 

Animais ectotérmicos (ou de sangue frio) são aqueles que não produzem calor internamente, ou seja, necessitam do meio externo para regular a temperatura interna do seu corpo e isso é feito principalmente através do sol.

Logo, se você tiver uma panela com água fervendo e jogar um sapo dentro (peço que acredite em mim, sou biólogo, não há necessidade de que se realize este experimento) ele irá imediatamente pular fora ou tentar escapar desesperadamente porque a temperatura do seu corpo está drasticamente diferente a do meio (água fervendo), todavia, se o sapo for colocado na panela com a água em temperatura ambiente e a mesma for sendo aquecida gradativamente, o sapo permanecerá no interior da panela até ser fervido, pois continuará regulando internamente sua temperatura até não sobreviver ao calor da água. 

Muitos cristãos são "ectotérmicos espiritualmente" porque vão regulando sua vida espiritual até não terem mais vida espiritual e só lhes sobrar a aparência de crente. A cada sermão que ouvimos, o Espírito Santo nos ilumina a mente, e compreendemos o que Deus nos diz através de Sua Palavra sobre como devemos viver e como temos vivido e mesmo assim não conseguimos renunciar. Como o sapo, morreremos (no sentido de separação eterna de Deus) cozinhados pelos laços de Satanás porque simplesmente nosso egoísmo nos fez escravos de nós mesmo e o inimigo de nossas almas se aproveitou disso para nos distanciar de Deus e da salvação em Cristo Jesus.
"Os que se negam a si mesmos a fim de beneficiar a outros, e se consagram com tudo quanto têm ao serviço de Cristo, experimentarão a felicidade que em vão procura o egoísta" (Ellen G. White. Testemunhos Seletos, v. 1, p. 377). 

CONCLUSÃO

Matthew Henry disse: "O discípulo de Cristo será provado de alguma forma". Há um custo meu amigo! Jesus te diz: ou tudo ou nada. A triste realidade é que nós não queremos pagar o preço, como somos covardes. Jesus nos promete vida eterna e nós não tiramos nossa mente desta porcaria de vida de sofrimento, morte, dor, estupros, perdas de entes queridos, assassinatos, pedofilia, homossexualismo, ateísmo. 

O livro do Apocalipse nos diz que quando Jesus nos levar para o céu, sentaremos numa mesa enorme, todos os salvos (se é que eu e você que vivemos essa vida cristã mediocre vamos estar lá) e Jesus, o Rei dos Reis, o Criador do Universo, o Salvador da humanidade, o Autor da Nossa Fé, o Deus Conosco, servirá um por um naquele grandioso banquete das bodas do Cordeiro e nós, mesmo assim, deixamos que as preocupações mundanas ocupem o principal lugar de nossas vidas, nos tornamos escravos do capitalismo, do consumismo e tiramos Jesus do trono do nosso ser. Mas no próximo culto vamos à igreja, louvamos como se fôssemos salvos, mas se continuarmos a nos negar em renunciar TUDO aquilo que impede nosso crescimento pleno em Cristo Jesus, nós vamos nos perder dentro da igreja.

Louvo a Deus pela vida do irmão que está pregando no vídeo abaixo. Louvo a Deus pela vida dos jovens que gastaram seu tempo em produzir um material tão maravilhoso e louvo a Deus pelo cristão que colocou as legendas no vídeo. Enquanto você assistir este vídeo, abra o seu coração, pois neste momento, onde você estiver, eu aqui clamo no nome de Jesus a presença restauradora do Espírito Santo em sua vida e o SENHOR falará poderosamente contigo:


"Apartai-vos das companhias prejudiciais. Calculai o preço de seguir a Jesus, e fazei-o com o decidido propósito de despojar-vos de toda impureza da carne e do espírito. A vida eterna vale tudo o que possuís e sois [...]. Aquele que nada faz, esperando ser compelido por algum poder sobrenatural, continuará esperando imerso em apatia e trevas. Deus deu Sua Palavra. Ele fala a vossa alma em linguagem inconfundível" (Ellen G. White. Fundamentos da Educação Cristã, p. 125).